Suspensão Disciplinar | Preservar a hierarquia, a convivência harmoniosa e o bem comum

Considera-se empregador a empresa, que, assumindo os riscos da atividade econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal de serviço (Artigo 2º da CLT). Dado ao empregador o poder de direção da empresa, deve organizar, controlar e disciplinar o trabalho de seus empregados, com o objetivo de manter a hierarquia, a convivência harmoniosa e o bem comum, no âmbito da empresa.

Aplicação de penalidades

Quando o empregado deixa de observar suas obrigações contratuais, faculta ao empregador, a aplicação de medidas cabíveis no intuito de corrigir o comportamento faltoso. É o chamado poder disciplinador do empregador. Todavia, esse poder tem limites impostos pela legislação trabalhista, visando proteger o empregado de eventuais arbitrariedades e perseguições. As penalidades previstas consistem em advertências verbais ou escritas, suspensões e despedimento. Desse modo, é necessário estar sempre atento, aplicando sanções justas, razoáveis e proporcionais à falta cometida pelo empregado.

Suspensão disciplinar

A suspensão é a medida de ordem disciplinar que visa resgatar o comportamento faltoso do empregado, necessária para a manutenção da disciplina e da ordem que devem imperar na empresa. Pode acarretar questionamentos, inclusive judiciais, visto que durante esse período o empregado é proibido de prestar serviços à empresa e por conta disso não receberá seus salários. Assim, é imprescindível que a penalidade seja aplicada com moderação e cautela.

Requisitos a serem observados

O empregador deverá aplicar a pena imediatamente. Para cada ato faltoso, só poderá ser aplicado uma pena, que deve ser razoável, fundamentada na coerência e no bom senso.

· Punição imediata

A aplicação da pena deve ser feita a partir do momento em que o empregador toma conhecimento do fato e a autoria está devidamente comprovada. A demora na aplicação da pena pode caracterizar o perdão tácito por parte do empregador. Em decorrência da complexidade, admite-se um período quando a falta necessitar de apuração de fatos e das responsabilidades. O ônus de provar o cometimento da falta, bem como sua autoria é do empregador, e somente após a obtenção das provas e da sua autoria é que este poderá aplicar as sanções cabíveis ao empregado responsável.

· Única penalidade

A punição deve ser aplicada apenas uma vez referente a um ato faltoso. Assim, não se pode aplicar uma advertência e depois uma suspensão por uma única falta cometida. No caso de reincidência, deve ser aplicada outra punição. Nada impede que na comunicação da nova punição haja referência a penalidades já aplicadas, caracterizando, assim, a prática reiterada de atos faltosos.

· Proporcionalidade

O empregador deverá usar o bom senso para dosar a punição merecida pelo empregado. Para as faltas leves devem ser aplicadas punições leves, sob pena de o empregador ser responsabilizado pelo abuso do poder de mando. No momento de definição da penalidade, é necessário considerar o passado funcional do empregado, se já cometeu faltas anteriormente ou não, os motivos que determinaram a prática da falta, a condição pessoal do empregado (grau de instrução, necessidade etc.).

O rigor da pena não deve expor o empregado a constrangimento na presença de colegas ou clientes, que poderá ensejar a rescisão indireta do contrato, pois implica falta grave por parte do empregador (Artigo 483 da CLT) e o possível ingresso de ação trabalhista por parte do empregado que se sentir prejudicado.

Prazo máximo

A suspensão disciplinar não pode ser superior a 30 dias consecutivos, valendo por despedida injusta do contrato de trabalho.

Recusa do empregado em receber a comunicação

Caso o empregado, sem justo motivo, se recusar a receber a comunicação da penalidade imposta, por não haver dispositivo legal expresso que discipline a questão, recomenda-se que leia ao empregado o teor da comunicação, na presença de 2 testemunhas, inserindo no rodapé da comunicação uma observação quanto à leitura realizada e a recusa em assinar o documento. Feito isso, deverão ser colhidas às assinaturas das testemunhas e do empregador ou do seu representante legal.

Modelo de documento

Suspensão disciplinar

 Nome do empregador

 Nome do empregado

 CTPS nº/série

 Depto/Seção

Este documento tem a finalidade de aplicar-lhe a pena de suspensão disciplinar por (______) dias a partir desta data, em razão da seguinte ocorrência:

_______________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________

_______________________________________________________________________________________

Esclarecemos, também, que a repetição de procedimentos como este poderá ser considerada como ato faltoso, passível de dispensa por justa causa.

Ao reassumir funções em ......../......../........., solicitamos-lhe observar as normas reguladoras da relação de empregado, para que não tenhamos, no futuro, de tomar as medidas que nos facultam a legislação vigente.

Favor dar o seu ciente na cópia deste.

__________________________, _____ de ______.

__________________________________________

Empregador

Ciente em ___  / ____  / _____.    

__________________________________________

Empregado

     

 

Indicadores Econômicos

Moedas - 26/05/2020 14:37:46
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 5,362
  • 5,363
  • Paralelo
  • 4,900
  • 5,660
  • Turismo
  • 5,140
  • 5,570
  • Euro
  • 5,885
  • 5,889
  • Iene
  • 0,050
  • 0,050
  • Franco
  • 5,548
  • 5,553
  • Libra
  • 6,611
  • 6,614
  • Ouro
  • 295,870
  •  
Mensal - 04/03/2020
  • Índices
  • Jan/20
  • Dez/19
  • Inpc/Ibge
  • 0,19
  • 1,22
  • Ipc/Fipe
  • 0,29
  • 0,94
  • Ipc/Fgv
  • 0,59
  • 0,77
  • Igp-m/Fgv
  • 0,48
  • 2,09
  • Igp-di/Fgv
  • 0,09
  • 1,74
  • Selic
  • 0,38
  • 0,37
  • Poupança
  • 0,05
  • 0,05
  • TJLP
  • 5,09
  • 5,57
  • TR
  • -
  • -

Parceiros

(XHTML / CSS)
Site desenvolvido pela TBrWeb
PR&I Contabilidade PR&I Contabilidade
Rua Itororó, 3 Conjunto 22   |   Centro - Santos, SP   |   CEP: 11010-071
Fone 13. 3219 5353   |   Fax 13. 3219-5866  |   pioneiro@pioneirocontabilidade.com.br